28.11.03



Tempo dos passos perdidos

Uma parte da vida é dedicada no sentido de situações meramente pessoais.
Por outro lado, mais do que dormir, um outro terço da dita afecta as pessoas com vulgaridades. O tempo de perder tempo e amigos.
Nesse auge decadente da maturidade, gritam sozinhas e não permitem que os julguem. Nem tão pouco que lhes lembrem que a verdadeira essência desta nossa arrastada passagem por aqui é a alma humana que faz desencadear a vida que cada um merece.
Quanto daria eu para saber se o outro terço que nos resta é vivido a olhar para dentro de nós próprios ou para os outros.





Também não se pode ter sempre azar, não é?