26.6.05



Vai um chazinho?

À medida que vão passando os dias e as horas nos blogs o leque das vastas gentes que me fazem sentir mais culto, aumenta.
Quando comecei, era o tempo da conquista de um espaço já razoavelmente preenchido. Era o tempo da Guerra no Iraque, onde jornalistas que sabem inglês eram os craques. Existiam também os letrados e homens e mulheres das Artes, e alguns outros que faziam do seu dia-a-dia um prazer de contar coisas. Pessoalmente, nunca fui nem terei nenhum desses epítetos, mas gostava. Falta-me a Cultura. Falta-me o jogo de cintura para saber lidar com as palavras e com a vida. Também o tempo de os acompanhar de perto.
E o surgimento de bloggers em início de carreira faz com que com que se aprenda mais, se saiba mais, pelos papelinhos que tinham guardado nas gavetas. Das vivências que querem transmitir. Dos pensamentos e experiências que podem fazer passar e que torna o tempo que dispenso a esta brincadeira ainda mais escasso para me distribuir.
De facto, não sendo erudito e nome sonante que venha em capas de revista, é com imenso orgulho que dou conta de ter pessoas que me acompanham e me deixam uma palavra e um sorriso. Um aceno cúmplice e uma agradável descoberta quando os visito.
Pena é que os não possa ler todos ao mesmo tempo: um caos que procuro inutilmente. Mas vou fazer um esforço porque, aqui, como já se viu, não se aprende nada.

Bom dia.

3 comentários:

Anónimo disse...

Tenho a nitida impressão d ejá ter comentado este seu post, mas por várias razões não o vejo editado aqui.Não interessa. O que interessa é que vim cá aceitar de novo esse seu cházinho, e dizer-lhe que você me faz muita companhia, pelas palavras sábias que escreve.
Um abraço
Valeria Mendez

eduardo disse...

Está no outro lado, D. Valéria.
Obrigado.

candida disse...

a mim falta-me isso tudo.